Portal do Governo Brasileiro

Alunos da especialização   Alunos da especialização

Com uma carga horária de 525 horas-aula e duração de 18 meses o curso será realizado com 80% da carga horária em Tempo Escola e 20% destinada ao Tempo Comunidade 

 

Entre os dias 11 a 30 de novembro de 2013, no auditório da sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI), em Campina Grande (PB), será ministrado o segundo ciclo de aulas do curso de especialização lato sensu em “Processos Históricos e Inovações Tecnológicas no Semiárido” para 65 alunos oriundos de sete estados da região Nordeste. 

 

A especialização tem como objetivo capacitar técnicos e lideranças de comunidades e assentamentos rurais, para prepará-los para o uso de tecnologias sociais sustentáveis no Semiárido brasileiro, possui uma carga horária de 525 horas-aula, teve inicio em julho de 2013 e deverá ser concluído em 18 meses. 

 

O curso segue a metodologia da pedagogia da alternância com seus quatro módulos divididos entre atividades desenvolvidas em sala de aula e nas comunidades. As atividades práticas são realizadas em assentamentos da reforma agrária ou em pequenas comunidades rurais. O objetivo é estruturar o processo de construção do conhecimento histórico, sob os preceitos da Educação do Campo contextualizada às condições do Semiárido brasileiro, propiciando o domínio dos usos de tecnologias sociais sustentáveis na região.

 

Para a aluna Eulapaula Martins, pedagoga com atuação no Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) no estado do Ceará, “ esta especialização proporciona uma oportunidade única, pois além de possuir uma temática variada, histórica e técnica, possibilita o encontro de vários profissionais do campo no Semiárido”. Para a pedagoga, compreender os processos históricos que formaram as atuais estruturas desiguais para o acesso à água e produção de alimentos no Semiárido, bem como as inovações tecnológicas podem ajudar a resolver essa questão é um dos pontos mais importantes do curso. 

 

A iniciativa é uma parceria entre a Univerisidade Federal da Paraíba (UFPB) e o Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI), com financiamento do CNPq, através do Edital 26/2012 do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). 

 

Texto : Rodeildo Clemente (Ascom do Insa)