Portal do Governo Brasileiro

 

Em relação às informações publicadas na coluna do jornalista Claudio Humberto, no Portal Diário do Poder – política e bastidores, e replicadas em alguns outros meios de comunicação, dia 15 de dezembro de 2013, o Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisada do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) esclarece: 

 

Na nota publicada “Prata de fora”, o jornalista faz uma crítica ao Governo Federal por designar “dois estrangeiros para representar o Brasil na convenção da ONU de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca”. 

 

A informação não corresponde à realidade, pois os senhores Ignacio Hernán Salcedo e Aldrin Martin Pérez Marin são brasileiros naturalizados e possuem um amplo histórico de serviços públicos relacionados à pesquisa científica e ao desenvolvimento tecnológico do Semiárido brasileiro.

 

Ignacio Hernán Salcedo, desde 2011 ocupa o cargo de diretor do Insa, aposentou-se como professor titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde ingressou inicialmente como professor visitante, em 1979, e se tornou servidor efetivo em 1981. 

 

Doutor em Ciências do Solo pela Michigan State University (1976), atuou no Departamento de Energia Nuclear da UFPE, com pesquisas em temas relacionados às áreas de agronomia-fertilidade do solo, biogeoquímica de carbono, nitrogênio e fósforo, com uso de traçadores estáveis e radioativos, de interesse para a agricultura e pecuária de subsistência na região semiárida. 

 

Aldrin Martin Pérez Marin, por sua vez, é servidor público federal efetivo do Insa (Tecnologista Pleno) desde 2009. Doutor em Ciências do Solo pela UFPE, atua nas seguintes linhas de ação: manejo e conservação do solo, agroecologia, manejo da fertilidade do solo, dinâmica de matéria orgânica, estudos de impacto ambiental, sistemas agroflorestais no Semiárido brasileiro.

 

Portanto, ao contrário do que pareceu afirmar o jornalista Claudio Humberto em sua coluna, os pesquisadores nomeados para representar o Brasil na Convenção da ONU de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca possuem sólida formação acadêmica e experiência profissional comprovada na área, além de possuírem cidadania brasileira, pela qual gozam de todos os direitos outorgados pela Constituição e leis do Brasil. 

 

Texto: Ascom do Insa/MCTI 



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS