Portal do Governo Brasileiro

O documentário “Quando eu vestia meu terno de couro” subsidiará discussão relacionada com manejo animal e conservação da Caatinga.

 

Será lançado nesta sexta-feira, dia 28, às 14h, no Semiárido em Foco, o documentário “Quando eu vestia meu terno de couro”, que trata do papel socioeconômico, ambiental e histórico-cultural do vaqueiro e do manejo animal adequado para a convivência com a região semiárida brasileira.

 

Além da exibição do documentário, haverá debate com participação do diretor do longa-metragem, Flávio Alex Farias, vinculado à Prefeitura Municipal de Boa Vista (PB), da produtora executiva e roteirista, Soahd Arruda Rached Farias, professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), e de José Jonas Duarte da Costa, pesquisador visitante do Instituto Nacional do Semiárido (Insa). O evento será transmitido ao vivo pelo site do Semiárido em Foco: www.insa.gov.br/semiaridoemfoco

 

Sobre o projeto 

 

O documentário a ser exibido no Semiárido em Foco é uma das ações do projeto Boa Vista Conta História, implantado por intermédio do ativista cultural e diretor de Turismo do município, Flávio Alex Farias, com apoio da Prefeitura de Boa Vista (PB), e da Escola Estadual Teodósio de Oliveira Ledo e Escola Municipal Francisca Leite, além da parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

 

O projeto partiu de uma iniciativa de articular alunos do ensino fundamental e médio de escolas públicas daquele município para desenvolver trabalhos relacionados à produção audiovisual. O objetivo é construir um acervo audiovisual com registros de depoimentos de personagens que protagonizaram importantes momentos históricos na região, contribuindo para o fortalecimento da identidade, para a preservação da memória local e do patrimônio simbólico imaterial.

 

Os alunos envolvidos no projeto participaram de curso para conhecimento técnico mínimo de câmera, som e imagem, e atuam no trabalho da produção e filmagens. O projeto contribui não apenas para que tenham contato direto com aspectos da sua cultura, das suas tradições e das particularidades ambientais de onde vivem, mas também para registrar, no sentido de preservar uma memória que faz parte da formação, ocupação e do patrimônio cultural do Semiárido brasileiro.

 

No projeto já foram produzidos 4 curta/longas-metragens e 5 novas produções estão em edição. Um dos documentários (Brincadeiras dos nossos avós) foi exibido na TV Universidade de Vigo e também recebeu premiação no 3º FARCUME, na cidade de Faro, Portugal. 

 

Texto: Catarina Buriti (Ascom do Insa)