Portal do Governo Brasileiro

Equipe do Projeto Águas, do Semiárido em Tela e fotógrafos mirins Equipe do Projeto Águas, do Semiárido em Tela e fotógrafos mirins

As fotos foram produzidas por crianças do Assentamento Vitória, localizado na zona rural de Campina Grande (PB), e contam a história da comunidade e do Projeto Águas, implantado pelo Insa na localidade desde 2013 

 

Na tarde desta segunda-feira, dia 02/06, foi realizada a 1ª Exposição dos Pequenos Fotógrafos do Assentamento Vitória, zona rural de Campina Grande (PB). A Exposição foi resultado de uma ação do projeto Semiárido em Tela com crianças da comunidade, com faixa etária de 4 a 12 anos. 

 

Desde 2013, o Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), desenvolve o Projeto Águas no Assentamento Vitória, onde foi implantado o sistema de captação de água de chuva e nas próximas etapas será viabilizado o abastecimento e reúso de água na comunidade.

 

O objetivo da ação do Semiárido em Tela foi desenvolver nas crianças a capacidade de compreender, criar e produzir imagens fotográficas sobre a questão da água no Assentamento e no Semiárido, reconhecendo a fotografia como meio privilegiado de expressão, comunicação e informação pedagógica. 

 

As atividades realizadas incluíram 15 oficinas sobre técnicas de fotografia, construção de imagens, fotografia e educação; expedição fotográfica sobre o caminho da água na comunidade; construção de um álbum de memória da comunidade; elaboração de mapas sociais da comunidade; e organização da exposição com o trabalho dos pequenos fotógrafos.

 

Os conteúdos foram expostos por meio de aulas práticas: as crianças trabalhavam com câmeras individualmente e em grupos, além de realizarem inúmeros trabalhos manuais, com enfoque lúdico, sobre temas educativos em ciência e Semiárido brasileiro.

 

A exposição apresentou 40 fotografias feitas pelas próprias crianças contando por meio de imagens quem são os moradores do Assentamento Vitória, os diversos usos da água no Assentamento, as características culturais da comunidade (moradias, criação de animais, transporte de água, vegetação local e tecnologias sociais construídas através das ações do Projeto Águas), além das expedições fotográficas realizadas durante as oficinas.

 

Durante o lançamento da exposição, Alayne Barbosa, 9 anos, uma das crianças que participou da ação do Semiárido em Tela,  afirmou que “foi muito bom as oficinas que a gente fez, aprendemos a fotografar, fizemos um vídeo sobre nosso projeto Águas e uma cartilha”. A fotógrafa mirim completou: “eu me sinto alegre porque aprendemos sobre água, aprendi a medir com o pluviômetro o tanto de água que chove e aprendi também que a água é importante porque se não fosse ela, a gente não vivia”.

 

Fotografia e ciência 

 

O primeiro trabalhado realizado com as crianças do Assentamento foi em março deste ano, com produção de material didático para ser trabalhado nas escolas. Elas colaboraram na produção de uma cartilha sobre o ciclo da água e elaboração de uma peça teatral baseada nesse material educativo.

 

Naquela ocasião o Semiárido em Tela se inseriu na comunidade para contribuir na construção de uma peça teatral que foi apresentada no Insa durante o evento alusivo ao Dia Mundial da Água.  Também foi iniciado uma série de oficinas de fotografia com o objetivo de discutir a temática água por meio de imagens construídas pelo olhar das crianças. 

 

A ação demonstrou que é possível utilizar a fotografia e o cinema em experiências de educação e difusão científica. No projeto Semiárido em Tela o público infanto-juvenil assimila noções básicas de técnicas audiovisuais para utilizarem como ferramentas de aproximação com a comunidade. Nas atividades desenvolvidas os participantes registram as diversas manifestações culturais e conhecimentos científicos, tecnológicos e ambientais do lugar onde vivem.

 

 Texto: Catarina Buriti e Rodeildo Clemente (Ascom do Insa)