Portal do Governo Brasileiro

Foto: Ascom do MMA Foto: Ascom do MMA

Em cerimônia que celebra Dia Mundial de Combate à Desertificação a ser realizada no MMA, serão entregues certificados a projetos de gestão sustentável reconhecidos pelo programa Dryland Champions 

 

Nesta segunda-feira (16/06), o Ministério do Meio Ambiente (MMA) comemora o Dia Mundial de Combate à Desertificação. A data oficial, instituída pela Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD), é 17 de junho. Com o campeonato mundial de futebol no Brasil, as comemorações foram antecipadas. Durante o evento, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, entregará certificados a representantes de projetos reconhecidos pelo programa Dryland Champions, organizado pela UNCCD, por reconhecer indivíduos, organizações e empresas cujas ações, iniciativas ou projetos promovam a gestão sustentável do solo e o combate à desertificação e à seca.

 

O Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), é uma das instituições homenageadas pelas ações de combate à desertificação no Semiárido brasileiro. Dentre os projetos reconhecidos estão: Revitalização da cultura da palma forrageira com variedades resistentes à Cochonilha-do-Carmim, Projeto Águas, Uso de águas residuárias, Conservação e avaliação dos recursos genéticos e bioquímicos do bioma Caatinga, Tecnologias mecânico-físicas e biotecnológicas de conservação de água e solos e Sistemas agrícolas resilientes a eventos ambientais extremos.

 

O evento contará com a presença do representante da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA) junto à UNCCD e à Comissão Nacional de Combate à Desertificação (CNCD), José Procópio Lucena, do secretário de Meio Ambiente do Sergipe, Genival Nunes, e do prefeito do município de Irauçuba (CE), José Elisnaldo Mota Pinto. O Insa é representante científico do Brasil junto à Convenção e na ocasião estará representado pelo seu diretor, Ignacio Hernán Salcedo.

 

Políticas de combate à desertificação

 

Irauçuba foi o primeiro município no Brasil a ter uma política municipal de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca. De acordo com o secretário executivo da CNCD e diretor do departamento de Combate à Desertificação do MMA, Francisco Campello, as ações realizadas pelo município cearense são referência no meio. “A gestão ambiental sustentável, em parceria com o Fundo Clima, o Programa Água Doce e o Projeto Econormas, fortalece as ações do município nas áreas susceptíveis à desertificação”, afirmou Campello.

 

Já o estado de Sergipe tem um plano estadual de combate à desertificação, que inclui a realização de diagnóstico florestal, projetos para cerâmicas sustentáveis, ordenamento ambiental em assentamentos, apoio à elaboração de planos municipais de combate à desertificação no Alto Sertão e inventário florestal. 

 

O evento começa às 9h, no Auditório do Edifício Marie Prendi Cruz, localizado à SEPN 505, Bloco B, Asa Norte, Brasília. No local, haverá duas exposições fotográficas: uma sobre os projetos contemplados pelo Programa Dryland Champions e outra intitulada A ave na Caatinga, do fotógrafo João Vital Evangelista Souto.

 

Texto: Ascom do MMA (Com acréscimos da Ascom do Insa)