Portal do Governo Brasileiro

Ilustração Ilustração

 

O artigo intitulado “A desertificação no Seridó do Rio Grande do Norte e da Paraíba: questão fundiária, pobreza rural e analfabetismo” foi publicado no dossiê “Sociedade e ambiente no Semiárido: controvérsias e abordagens” que compõe o número atual da Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

 

O estudo foi desenvolvido com base em indicadores presentes no Portal da Desertificação do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), com o objetivo de analisar as inter-relações entre os indicadores de população rural abaixo da linha da pobreza, analfabetismo no campo, questão fundiária e meio ambiente no Seridó paraibano e potiguar, representados como causas estruturais ou indiretas da desertificação. De acordo com os autores, Daiana Refati, Ricardo Lima, Aline Almeida, Cícero Fidelis e Heithor Queiroz do Núcleo de Gestão da Informação e do Conhecimento do INSA, a relação entre os indicadores estudados e o meio ambiente dependente de dinâmicas locais. Por isso, sugerem fortemente a realização de estudos de casos específicos para avaliar com maior segurança e assim ter soluções adequadas para o fenômeno em cada localidade.

 

O texto completo está no dossiê organizado por Cimone Rozen­do, dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS) e Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e Paulo Cesar Diniz, do Mestrado Profissional de Sociologia em Rede Na­cional do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA) da Universidade Federal de Campina Grande. A ideia do dossiê surgiu do interesse dos organizadores em colocar em perspectiva as reflexões e os projetos que envolvem o Semiárido brasileiro, homenageando os cem anos de nascimento de Celso Furtado (1920-2020).

 

Segundo eles, as análises regionais nas últi­mas duas décadas possuem influência de três elementos: a seca ocorrida entre os anos de 2012 e 2018, considerada a primeira grande seca do século atual; o megaprojeto de transposição das águas do rio São Francisco e suas repercussões so­cioambientais; e o programa de construção de cister­nas familiares com seus impactos e desdobramentos produtivos, sociais e ambientais, em especial no que se refere à garantia da segurança alimentar. O número de proposições recebidas para o dossiê foi de aproximadamente 100 e os 33 artigos escolhidos revelam a potência da pesquisa científica sobre e no Semiárido brasileiro expressa pela grande diversidade de temas e abordagens provenientes de diferentes áreas do conhecimento.

 

O link para acessar o dossiê no volume 55º. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente é: https://revistas.ufpr.br/made/issue/view/3058

 
Ascom do Insa
Colaboração Aline Almeida


NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS