Portal do Governo Brasileiro

Pesquisadores elaboram cronograma de instação do Sistema de Reúso/Divulgação Pesquisadores elaboram cronograma de instação do Sistema de Reúso/Divulgação

 

Uma proposta da utilização da água de reúso para a agricultura prevê o início da instalação do projeto ainda no 1º Semestre de 2020, trazendo inúmeros benefícios para as famílias agricultoras da região. De acordo o censo de 2010, Parnamirim possui 11.874 habitantes da zona rural de um total de aproximadamente 21 mil pessoas.


A Prefeitura Municipal de Parnamirim (PE), o Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF) formaram um Acordo de Cooperação para implantar e operacionalizar uma Estação de Reúso de Esgoto Tratado no município de Parnamirim (PE). Ontem dia 14 de janeiro, representantes dessas instituições se reuniram em Recife (PE), na sede da Compesa, para traçar um planejamento estratégico e estabelecer um cronograma do plano de ação.

 

Durante a reunião ficou estabelecido pelas partes que a implementação da 1º fase do Projeto será realizada até junho de 2020. Se encontravam presentes para debater os próximos passos do projeto o Diretor do Insa, Salomão de Sousa Medeiros, a pesquisadora Jucilene Araújo, responsável pelo Núcleo de Produção Vegetal, e os pesquisadores Mateus Mayer e George Lambais. Além de vários outros representantes de todas as demais instituições. Entre outros, Bartholomeu Siqueira, Pedro Campos, Ana Cavalcanti e Clemildo Torres, representando a Compesa e Abelardo Montenegro, representante da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

 

Município de ParnamirimMunicípio de Parnamirim

 

Por que tratar a água de esgoto dos municípios do Semiárido?

 

O Insa conta hoje com uma tecnologia de tratamento de esgoto pronta para ser repassada imediatamente para as Prefeituras Municipais que é capaz de atender à demanda reprimida dos munícipios do Semiárido por água tratada para a agricultura.

 

O diretor do Insa, Salomão de Sousa Medeiros, explica que se pode com o uso dessa tecnologia disponível tratar o esgoto gerado por municípios de até 100 mil habitantes com relativa tranquilidade operacional e até planejar a capacidade de ampliação dos sistemas de tratamento para os municípios de grande porte do Semiárido. Se colocados imediatamente em funcionamento, os sistemas de tratamento de esgoto gerariam em pleno sertão do Nordeste 1.262 rios permanentes, um para cada município, aflorados a partir da água de reúso e disponibilizados para produção econômica na região Semiárida do Brasil. Um filão ambiental e econômico que não pode ser desprezado pelo país em sua curva ascensional de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

 

Vídeo: Projeto reaproveita água de esgoto para irrigação na cidade de Pedra Lavrada

 
 Por Rodeildo Clemente/Ascom do Insa
 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS