Portal do Governo Brasileiro

Diretor do Insa e Ministro de C&T Diretor do Insa e Ministro de C&T

 

Durante a 71º Reunião Anual da SBPC, realizada entre os dias 21 a 27 de julho, em Campo Grande (MS), na Avenida da Ciência na UFMS, o Insa/MCTIC, apresentou para o público da feira expositiva vários projetos nas áreas de recursos hídricos, produção animal e vegetal, biodiversidade, melhoramento vegetal, popularização da ciência, educação contextualizada e de empreendedorismo comunitário.

 

Na última sexta-feira, dia 26 de julho, o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC),  o astronauta Marcos Pontes, visitou o estande do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC) durante  a 71º Reunião Anual da SBPC, na Avenida da Ciência, instalada especialmente para o evento no campus da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), estado do Pantanal brasileiro, em Campo Grande (MS).

 

Naquele momento, o ministro foi recepcionado pelo diretor do Insa, Salomão de Sousa Medeiros, que apresentou os projetos do Insa na área de Recursos Hídricos, sintonizados com os projetos de dessalinização promovidos pelo Governo Federal na atual Administração.  Um dos destaques da mostra do Insa em 2019 na SBPC foi um dessalinizador  modelo de água do mar da  ALADYR (Associação Latino-americana de Dessalinização e Reúso de Água) de cerca de meia tonelada de peso e, que, em um futuro próximo poderá servir de protótipo para a fabricação maciça de dessalinizadores adaptados para reter o teor de salinidade de águas salgadas encontradas no Semiárido brasileiro. As consultoras do Programa Água Doce, Márcia Liana Freire e Vanessa Fernandes, apresentaram o dessaniliador ao público representando o Departamento de Recursos Hídricos e Revitalização de Bacias Hidrográficas do Ministério do Desenvolvimento Regional. 

 

Também foi apresentado ao Ministro de C&T, pelo Núcleo de Recursos Hídricos do Insa, apresentado na feira pelo pesquisador Rodrigo de Andrade, um sistema de tratamento de esgoto e purificação de água. O mecanismo composto por um reator UASB, sigla de Upflow Anaerobic Sludge Blanke, usado para estabilização de matéria orgânica, e acoplado em uma lagoa de polimento para remoção de organismo patogênicos. Em 2019, há em execução no Semiárido brasileiro dois projeto do Insa em parceria com as Prefeituras Municipais de Frei Martinho (PB) e São Fernando (RN) para tratamento do esgoto doméstico e subsequente utilização da água tratada na produção de  alimento para o gado e também na irrigação de árvores madereiras.  Rodrigo estima, que só no município de Frei  Martinho (PB), são tratados por dia cerca de185 mil litros de esgoto doméstico.

 

O Insa conta hoje com uma  tecnologia de tratamento de esgoto pronta para ser repassada imediatamente para as prefeituras municipais que é capaz de atender à demanda reprimida dos munícipios do Semiárido por água tratada para a agricultura.  O pesquisador explica que se pode com o uso dessa tecnologia disponível  tratar o esgoto gerado por municípios de até 100 mil habitantes com relativa tranquilidade operacional e planejar a capacidade de ampliação  dos sistemas de tratamento para as cidades de grande porte do Semiárido. Se colocados imediatamente em funcionamento, os sistemas de tratamento de esgoto gerariam em pleno sertão do Nordeste 1.262 rios permanentes, um para cada município,  aflorados a partir da água de reúso  e disponibilizados para produção econômica na região semiárida do Brasil. Um filão ambiental e econômico que não pode ser desprezado pelo país em sua curva ascencional de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

 

Biodiversidade 

 

A pesquisadora, Vanessa Nóbrega, representante do Núcleo de Biodiversidade do Insa,  explica que o Instituto atua na conservação de várias espécies vegetais do Semiárido brasileiro  e integra algumas Redes de Pesquisa de citogenética, biotecnologia, bioprospecção e análises moleculares. Foram levadas pelo Insa para a mostra científica, em Campo Grande (MS), espécies de cactáceas micropropagadas em  um laboratório, localizado na Estação Experimental do Insa, em Campina Grande (PB), que serve de base para o projeto de multiplicação e conservação da flora regional. Algumas das espécies apresentadas  ao público foram a Arrojadoa rhodantha/ Pilosocereus pachycladus/ Melocactus sp. entre outras espécies, consecutivamente conhecidas pelos nomes populares Rabo de Raposa, Facheiro e Coroa-de-frade.

 

Unificadas: Gestão da Informação e ações de Combate à Desertificação

 

Quem passou pelo estande do Insa na Avenida da Ciência conheceu o Portal da Desertificação, um produto tecnológico do Insa que será lançado em breve na internet, rede mundial de computadores, e disponibilizará  um conjunto de 27 indicadores técnicos para emissão de dados e alertaspara os gestores públicos de todos os âmbitos e níveis governamentais diferentes,  do alto escalão da república até os dirigentes de associações rurais e também, em primeiro lugar, para a população do Semiárido. Desse modo, serão coletados, distribuídos e processados  dados ambientais, sociais, econômicos e institucionais capazes de indicar as áreas mais críticas e as pricipais causas e consequências relacionadas à temática da desertificação no Semiárido brasileiro.

 

O pesquisador Heithor Queiroz concedeu uma entrevista detalhando o projeto para a tevê do MCTIC. 

 

Veja o vídeo aqui 

 

Portal da Desertificação 

 

Produção Vegetal

 

Já a pesquisadora Jaqueline Oliveira, do núcleo de Produção Vegetal, apresentou aos visitantes  da feira os projetos do Insa desenvolvidos a partir   das variedades genéticas da palma forrageira resistente à praga da Cochonilha-do-carmim que, na última década,  devastou as plantações dessa espécie vegetal na Caantiga, quase  levando à extinção um dos principais alimentos do gado da região nordeste do Brasil.  São três as variedades da palma resistente: Orelha de Elefante Mexicana, Miúda ou Doce e Baiana

 

No projeto de Revitalização da Cultura da Palma Forrageira, desenvolvido pelo Insa, sob gerenciamento da pesquisadora Jucilene Araújo, foram instalados 26 campos experimentais, em 26 municípios, em 13 microrregiões da Paraíba e distribuídos cerca de 5 milhões de raquetes  sementes de palma resistente à cochonilha para as famílias agricultoras da região. Nos campos experimentais de Frei Martinho (PB) e São Fernando (RN) os projetos de tratamento e reuso de água de esgoto são consorciados ou seja plantados em um sistema agroflorestal com espécies nativas e adaptadas ao Semiárido, lá temos várias espécies de leguminosas, forrageiras e madereiras consorciadas com a palma forrageira, levando-se sempre em consideração as variáveis com espaçamentos,  adubações orgânica e mineral. As plantas são irrigadas com água de reuso, a chamada água proveniente de esgoto tratado.

 

Produção Animal 

 

Romildo Neves, pesquisador do Núcleo de Produção Animal, levou para expor na Avenida da Ciência diferentes tipos de fenos, que são as misturas de plantas secas que servem de alimentação animal, feitas  à base de espécies vegetais nativas e adaptadas ao Semiárido. Durante à SBPC também foram apresentados alguns dados referentes ao valor nutricional  da alimentação animal e as propriedades de proteína bruta destas plantas para o estoque de forragem no Semiárido nos períodos de seca. Periodicamente o Insa promove cursos  para os agricultores familiares reduzirem os gastos com a alimentação animal,  nessas oportunidades são ensinadas as técnicas para os produtores produzirem a forragem necessária para o gado.

 

O pesquisador ainda conversou com os transeuntes sobre a composição bromatológica, estudo da composição dos alimentos, como um elemento facilitador na formulação das dietas e planejamento da redução dos custos do desperdício do alimento animal. O Núcleo de Produção Animal mantém ativo um projeto de conservação e distribuição da raça-curraleiro pé-duro atuante sob a supervisão do pesquisador Geovergue Medeiros.

 

Popularização da ciência, educação contextualizada e o fomento ao empreendedorismo comunitário

 

 O estande do Insa, na 71º Reunião Anual da SBPC, durante a mostra realizada pelas Unidades e vinculadas ao MCTIC na Avenida da Ciência, demonstrou para o público muitos projetos de parceiros institucionais, a exemplo da minibiblioteca itinerante, que integra várias publicações sobre culturas agrícola e práticas agroecológicas adaptados à agricultura familiar no Semiárido. Especificamente, estas coleções de livros foram distribuídas durante os últimos dois anos para comunidades do Semiárido em um projeto conjunto da Biblioteca do Insa em parceria com a Embrapa.

 

Também fora expostas as telas de quadros pintados com material fabricado de geotinta, por estudantes da rede pública de ensino,  com tinturas compostas de solos do Semiárido oriundas do Projeto Programa de Ações Sustentáveis para o Cariri (Pascar), Solo na Escola, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), campus de Sumé (PB). Durante todos os dias da feira, as pesquisadoras Jaqueline Oliveira e Vanessa Nóbrega ministraram a oficina de pintura com geotinta para crianças, os visitantes ainda poderam conhecer no estande a demonstração do uso de florais Florsol, um tratamento de terapia medicinal complementar, ofertado por um projeto comum da ONG Cenep e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e apoiado pelo Insa.

 
Texto: Rodeildo Clemente

Fotos: Rodeildo Clemente e Ascom do MCTIC 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Reportagem Especial  direto de Campo Grande (MS)
Atualizado às 16:33, dia 02/08/2019 
 

Pesquisadora Vanessa Nóbrega e representação da área de biodiversidade Pesquisadora Vanessa Nóbrega e representação da área de biodiversidade

 

Pesquisador Rodrigo Andrade apresenta projetos de tratamento de esgoto Pesquisador Rodrigo Andrade apresenta projetos de tratamento de esgoto

 

Pesquisadora Liana Gopi (Aladyr) apresenta dessalinizador para o público Pesquisadora Liana Gopi (Aladyr) apresenta dessalinizador para o público

 

Jaqueline Oliveira junto à Minibiblioteca (Projeto Embrapa/Insa) Jaqueline Oliveira junto à Minibiblioteca (Projeto Embrapa/Insa)

 

Estudantes visitam estande do Insa Estudantes visitam estande do Insa

 

Pesquisador Romildo Neves junto ao público Pesquisador Romildo Neves junto ao público

 

Pesquisadoras da Aladyr apresentam dessalinizador ao público Pesquisadoras da Aladyr apresentam dessalinizador ao público

 

Heithor Queiroz concede entrevista ao MCTIC sobre o Portal da Desertificação do Insa Heithor Queiroz concede entrevista ao MCTIC sobre o Portal da Desertificação do Insa

 

Pavilhão Nacional Pavilhão Nacional



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS