Portal do Governo Brasileiro

Pesquisa de Campo (Comunidade Bento de Cima - Soledade (PB). Pesquisa de Campo (Comunidade Bento de Cima - Soledade (PB).

 

Pesquisadores do Insa proferem palestras no X simpósio nordestino de etnobiologia e etnoecologia

 

O X Simpósio Nordestino de Etnobiologia e Etnoecologia (X SNEE), ocorrido em João Pessoa (PB), na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), entre os dias 22 a 26 de Abril de 2019, teve como tema: “Lições do passado e perspectiva para o futuro” e se propôs a ser um espaço de debate, troca de saberes e articulação entre a comunidade acadêmica e a população, em especial os agricultores familiares do Semiárido.

 

Na ocasião, a pesquisadora do INSA, Marilene N. Melo, proferiu a palestra “Mulheres Guardiãs das Galinhas de Capoeira”, onde discorreu sobre os diversos significados, sentidos e funções que a prática de criar as galinhas de capoeira têm para as mulheres agricultoras, além da importância para a segurança alimentar e renda das famílias agricultoras. A criação de galinhas representa para as agricultoras uma fonte de terapia, lazer, fertilidade, controle dos insetos, mas também, possibilidade de autonomia.

 

A pesquisadora destacou, sobretudo, o papel histórico que as mulheres agricultoras familiares têm no desenvolvimento, conservação e manejo das raças locais de galinhas, chamadas na Paraíba e em outros estados do Nordeste, como “Galinhas de Capoeira”. Denominação inspirada no sistema tradicional de criação destes animais, onde as galinhas estando parcialmente ou totalmente livres “pastam” na vegetação secundária, chamada comumente de “capoeira”.

 

Há um valioso patrimônio genético formado por diferentes tipos locais de galinhas, paradoxalmente, pouco reconhecido pela pesquisa e pelas políticas públicas. O Núcleo de Sistema de Produção Animal do INSA, reconhecendo a importância histórica, cultural, social e econômica que as galinhas de capoeira têm para a agricultura familiar do Semiárido brasileiro e o papel das mulheres agricultoras como verdadeiras guardiãs destas raças locais, desenvolve na Paraíba uma pesquisa que tem como objetivo caracterizar fenotipicamente as galinhas de capoeira, a partir dos conhecimentos e vivências das mulheres agricultoras.

 

Esta pesquisa vem sendo desenvolvida em parceria com organizações da Articulação do Semiárido Paraibano e conta com o apoio da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através do Núcleo de Extensão Rural Agroecológica e do Centro Vocacional Tecnológico Agrobiodiversidade do Semiárido e da Red Conbiand, rede ibero-americana de pesquisa sobre raças locais e desenvolvimento sustentável.

 

  Representação do Insa

 

O pesquisador Daniel Araújo, do Núcleo de Biodiversidade, apresentou a palestra “Bancos de Extratos vegetais do Semiárido brasileiro: o INSA em busca do potencial da caatinga”, onde enfatizou os resultados da pesquisa de biopropecção das plantas da caatinga visando a produção de fitoterápicos. Ressaltou ainda a importância do diálogo entre conhecimento tradicional e científico na conservação. Dos recursos naturais e na busca do desenvolvimento sustentável.

 

O agrônomo e engenheiro florestal João Macedo Moreira, colaborador do INSA, proferiu a palestra Inovações socioambientais do Semiárido, onde destacou a importância da valorização dos saberes, conhecimentos e experiências no desenvolvimento de inovações para a convivência com o semiárido.

 

Estiveram também presentes no Simpósio, os pesquisadores Geovergue Medeiros, titular do Núcleo de Produção animal e do Projeto “Promoção, preservação, conservação e uso sustentável de espécies animais nativas do Semiárido brasileiro”, desenvolvido pelo INSA ao longo do quinquênio 2019-2023. O Diretor do Insa, Salomão de Sousa Medeiros, participou da mesa de abertura.

 

A programação do X Simpósio Nordestino de Etnobiologia e Etnoecologia foi intensa e constou de painéis, mesas-redondas, palestras, apresentação de trabalhos em formato de banners, minicursos, além de festival de culinária tradicional e indígena, feira de artesanato e apresentações culturais. O público estimado foi de 600 pessoas.

 

O X SNEE foi uma realização conjunta da Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia (SBEE), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Laboratório de Etnobiologia e Ciências Ambientais (LECA/UFPB) e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio ambiente (PRODEMA/UFPB).

 

Ascom do Insa

Ilustração

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS