Portal do Governo Brasileiro

Estação Meteorológica localizada na Estação Experimental do Insa (área preservada)Estação Meteorológica localizada na Estação Experimental do Insa (área preservada)Buscando contribuir com o aprimoramento de estimativas relativas a mudança no uso da terra (conversão da Caatinga em pastagens e/ou áreas agrícolas) e seus efeitos nos fluxos de carbono, água e energia (evapotranspiração), o Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC) em parceria com o Observatório Nacional da Dinâmica da Água e Carbono no Bioma Caatinga (ONDACBC), estão realizando através de torres meteorológicas,  o monitoramento da dinâmica da água e do carbono no sistema solo-Caatinga-atmosfera.

 

As pesquisas que são exclusivamente voltadas para o bioma Caatinga, acompanham como esses processos são cruciais para o entendimento da ocorrência do sequestro ou emissão de carbono nesse bioma e os fluxos de água para reservatórios, com o objetivo de contribuir para uma modelagem mais eficiente dos efeitos das mudanças climáticas.

 

Atualmente o Insa dispõe de três torres instaladas em locais e condições distintas. Na Paraíba, as torres estão situadas na sede administrativa (área degradada) e na estação experimental (área preservada). Além disso, também há uma torre instalada na Estação Ecológica do Seridó, localizada no município de Serra Negra do Norte (RN).

 

Esse aparato tecnológico permite obter medidas ininterruptas ao longo dos ciclos diários. Onde tais informações são armazenadas em um cartão de memória e, ao realizar a inspeção semanal das torres, verifica-se se é necessária a troca do mesmo. Tais cartões são substituídos em intervalos de dois meses (aproximadamente), no entanto, é preciso realizar a inspeção continua das torres, visto que estas, estão sujeitas às intempéries naturais.

 

Júlio Tavares, pesquisador responsável pela coleta dos dados gerados pelas torres, ressalta a o papel do Insa no monitoramento desses dados: “O Insa tem papel de destaque por contar com uma área de preservação bastante significativa e, por sua vez, torna possível a comparação entre a área preservada e a degradada. Contudo, é necessário ampliar os esforços no sentido de recursos humanos a fim de otimizar as pesquisas. Por fim, destaca-se a louvável iniciativa daqueles que tornaram possível a implementação do projeto ONDACBC”, afirmou ele.

 

Estação Meteorológica localizada em Serra Negra do Norte (área preservada) Estação Meteorológica localizada em Serra Negra do Norte (área preservada) Um dos pontos discutidos na IV Reunião Geral e no I Workshop do ONDACBC, realizados no último mês de dezembro, foi a necessidade de balanços hídricos abrangentes em um bioma marcado pela semiaridez. Segundo os pesquisadores, os balanços são necessários para estimativas da disponibilidade hídrica para lavouras e para abastecimento humano e animal. Nesse sentido, no dia 14 de fevereiro, representantes do Insa, da UFPB e UFPE, também reuniram-se para planejar as ações do Observatório para 2019, tendo como tema central do encontro as tecnologias do Sistema de Tratamento de Águas Residuárias e demandas do projeto.

 

ONDACBC

 

O INCT-ONDACBC é uma rede multidisciplinar de pesquisadores nacionais e internacionais que atuam no desenvolvimento de pesquisas experimentais e de modelagem da dinâmica de água e carbono no Semiárido brasileiro. Com o objetivo de reunir esforços para conduzir pesquisas de longo prazo em escala regional, sistematizar o conhecimento gerado, formar recursos humanos e subsidiar a formulação de políticas públicas para apoiar a adaptação dos sistemas de uso da terra à variabilidade climática da região.

 

Sediado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o observatório conta com diversas instituições que compõem a rede, entre elas o Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC).

 

 

Texto: Renally Amorim (Ascom do Insa)

Fotos: Renally Amorim e Júlio Tavres 



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS