Portal do Governo Brasileiro
Divulgação Divulgação

 

O XIV Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, foi realizado entre os dias 20 a 24 de novembro, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió (AL). O tema do evento foi o futuro da oferta e da demanda da água no nordeste brasileiro, apresentando a relevante importância da mudança de paradigma da gestão de recursos hídricos no Brasil.

 

Hoje a interpretação dominante é baseada na oferta da água aos diversos usuários, no contexto dos usos múltiplos. Mas crises hídricas contínuas registradas nos últimos anos em várias regiões brasileiras têm demonstrado que novas abordagens precisam ser adotadas.

 

Durante o evento, a pesquisadora colaboradora em Recursos Hídricos do Insa, Tereza Helena, apresentou o artigo Olho N’água  Plataforma Interativa de Acompanhamento  dos Reservatórios da Região Semiárida. 

 

O evento colocou em discussão os avanços e perspectivas da oferta e da demanda de recursos hídricos no nordeste brasileiro.

 

Em paralelo ao simpósio, foram realizados dois eventos temáticos.

 

O primeiro foi o XII Encontro Nacional de Águas Urbanas (XII ENAU) organizado pela Comissão Técnica de Águas Urbanas. 

 

O segundo foi o VI Simpósio sobre Seguranças de Barragens e riscos associados (VI SSBRA). Ele foi organizado pelo Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB) em parceria com a Associação Brasileira de Recursos Hídricos.

 

Conheça o projeto

 

O sistema Olho N’Água é resultado de uma parceria entre o Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC) e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), por meio dos laboratórios Analytics e Hidráulica II, com o objetivo de compartilhar com a sociedade informações atualizadas sobre a disponibilidade de água em 452 reservatórios da região semiárida. O projeto integra o Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento do Semiárido Brasileiro (SIGSAB), que reúne e disponibiliza informações econômicas, sociais, ambientais e da infraestrutura do Semiárido Brasileiro.

 

As informações dos níveis dos reservatórios são oriundas do monitoramento mensal realizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH), Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte (SEMARH-RN).

 
CONFIRA O ARTIGO
 
CURTA A PÁGINA DO OLHO N'ÁGUA NO FACEBOOK

 

 

Texto: Rodeildo Clemente
(Ascom do Insa)



NOTÍCIAS RELACIONADAS


BOLETIM
INFORMATIVO

VÍDEOS

INSA NA
MÍDIA

EDITAIS

EVENTOS