Portal do Governo Brasileiro

Reunião sobre recursos genéticos de cactáceas Reunião sobre recursos genéticos de cactáceas Os cactos são plantas representativas da região Semiárida brasileira, grupo que abriga aproximadamente 100 espécies nativas, desse total cerca de 80 são endêmicas, ou seja, ocorrem apenas nesta região. As cactáceas possuem um potencial medicinal, cosmético, alimentício e ornamental.

 

Considerando essa planta como base para formulação de ações conjuntas com suporte tecnológico-científico, ocorreu na manhã de hoje, 12 de dezembro, na sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) uma reunião sobre utilização de recursos genéticos de cactáceas para uso ornamental e alimentar.

 

Na ocasião estiveram presentes representantes da Embrapa Agroindústria Tropical, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Sergipe (UFS), campus Sertão, o diretor do Insa, Salomão de Sousa Medeiros e pesquisadores dos Núcleos de Biodiversidade e Produção Vegetal do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC).

 

As instituições apresentaram as ações e pesquisas com cactáceas desenvolvidas por cada uma delas, a exemplo do trabalho “Uso, manejo e domesticação de cactáceas apresentado pelo professor Reinaldo Farias Paiva de Lucena da Universidade Federal da Paraíba, e Uso da palma na alimentação humana apresentado pela professora Anny Kelly Vasconcelos da Universidade Federal de Sergipe.

 

A pesquisadora Fabiane Rabelo, do Núcleo de Biodiversidade do Insa, apresentou aos visitantes as pesquisas desenvolvidas com utilização de cactáceas, que são realizadas nas áreas de citogénetica, conservação de cactáceas e micropropagação in vitro

 

Um dos principais encaminhamentos da reunião foi a criação, até janeiro de 2018, um projeto com longa duração que contemple como foco principal os recursos genéticos e etnobotânica dos cactos do Semiárido. 

 

Texto e Foto: Ascom do Insa